Pesquisa

Carregando...

sábado, 9 de junho de 2012

Amistosos 2012 – Análise de Brasil 3 x 4 Argentina


No último amistoso preparatório da seleção brasileira para os Jogos Olímpicos, o Brasil enfrentou o time principal da Argentina, que disputa as eliminatórias para a Copa de 2014. Mesmo com o placar de 4 a 3 para os argentinos, a atuação brasileira não foi ruim, considerando que se tratava de um time sub-23 contra os principais jogadores argentinos. O Brasil mostrou-se bom no ataque, mas frágil na defesa, principalmente na hora de marcar Messi, autor de três gols na partida. Para nossa sorte, a Argentina não estará na Olimpíada.

O time canarinho começou a partida bem, marcando pressão no campo do adversário, dificultando a saída de bola argentina e mantendo o jogo longe do ataque Hermano e, principalmente, longe de Messi. Aos 22 minutos o Brasil abriu o placar, em cobrança de falta de Neymar, a linha de impedimento argentina falhou clamorosamente e Rômulo, sem marcação alguma, marcou.

Depois de abrir o placar, time brasileiro parou de pressionar a defesa adversária e começou a recuar. Ainda assim o Brasil criou boas chances, mas em dois lances, Neymar preferiu tentar cavar pênaltis ao invés de marcar o gol, quando a segunda opção era clara e fácil. Aos 30 minutos, Messi ensinou Neymar como se faz. Higuaín apertou Sandro, roubou a bola e lançou Messi, que esperou Rafael sair e marcou, empatando a partida.

Aos 33 minutos, o meio-campo brasileiro vacilou mais uma vez e Di Maria lançou Messi, que driblou Rafael e marcou o segundo gol argentino. O camisa 10 Hermano virou a partida em apenas três minutos, quando resolveu sair do lado direito do campo e jogou um pouco de bola. Com 2 a 1 contra no placar, o Brasil voltou a jogar sério e criou duas boas chances antes do intervalo. Na primeira, Hulk recebeu ótimo passe de Neymar, mas bateu para fora, na segunda, Hulk recebeu a bola no ataque, driblou o goleiro, mas perdeu ângulo e não conseguiu bater pela pouca familiaridade do pé direito com a bola.

Depois do intervalo o Brasil voltou melhor e criou mais uma chance de gol aos cinco minutos, mas Hulk resolveu chutar, quando a melhor jogada era cruzar para Damião, que vinha livre dentro da área. Aos 10 minutos, Oscar fez linda jogada, tabelando com Damião, que funcionou como pivô, e marcou um golaço. Infelizmente para o Brasil, Oscar havia se contundido na jogada anterior ao gol e teve que ser substituído por Giuliano.

Aos 19 minutos o Brasil tentou imitar o lance que originou o primeiro gol do jogo, mas Damião perdeu um gol que, digamos, minha vó faria. Com 26 minutos da segunda etapa, Neymar cobrou escanteio, o goleiro Romero saiu caçando borboletas e Hulk aproveitou o vacilo do adversário para encher o pé e virar o jogo para o Brasil. 3 a 2. Mas os argentinos não deixaram barato e devolveram com a mesma arma, três minutos depois. Agüero cobrou escanteio, Bruno Uvini ficou plantado no chão e só assistiu Fernandez subir sozinho e cabecear para empatar o jogo mais uma vez.

Com o placar igual, o jogo ficou aberto e Neymar teve ótima chance aos 34 minutos, em falha da defesa argentina. A bola sobrou para o atacante do Santos, que driblou Romero e bateu, mas o chute saiu fraco e Fernandez conseguiu tirar a bola com um carrinho. Messi, que vinha sumido desde o segundo gol argentino, apareceu ao sofrer falta na meia-lua e cobrá-la para defesa de Rafael. Seria bom para os brasileiros se ele tivesse continuado sumido. No minutos seguinte, Messi driblou Marcelo na lateral de campo e foi carregando a bola, até puxar para a esquerda na entrada da área e acertar um belíssimo chute, no ângulo direito do goleiro Rafael. Uma pintura de gol. Argentina na frente de novo, 4 a 3.

Antes do jogo acabar ainda aconteceu uma pequena confusão entre Marcelo e Lavezzi. O argentino, que havia acabado de entrar no jogo, fez falta mais dura em Marcelo, que revidou com um soco. O juiz da partida, ruim, diga-se de passagem, expulsou ambos os jogadores.

O Brasil jogou bem, apesar de algumas falhas na defesa (reserva, diga-se), mas o fator que decidiu a partida vestia a camisa 10 argentina. Não fosse Messi em campo a história poderia ter sido outra. Como não existe “se” no futebol, fica a lição da boa apresentação ofensiva nacional e os erros na marcação. Somando os quatro amistosos, a seleção não parece ruim, ainda mais quando lembramos que na Olimpíada estarão apenas seleções sub-23 e nenhuma delas (nem a nossa) tem a qualidade da Argentina. Se jogar em Londres como jogou hoje em New Jersey, o Brasil tem boas chances de sair com uma medalha.

Confira as notas dos jogadores brasileiros:

Rafael – 4,0: Não teve culpa em três dos quatro gols, mas ainda assim tomou quatro gols, algo nada bom para um goleiro.

Rafael Silva – 5,0: Apoio bem e marcou muito melhor do que Danilo nos três outros jogos. Danilo – Sem nota: Quase não pegou na bola.

Bruno Uvini – 3,5: Falhou no terceiro gol argentino, além de não passar muita segurança.

Juan – 4,0: Assim como seu companheiro de zaga, não passa muita confiança, mas vale lembrar que marcar Messi não é fácil.

Marcelo – 6,0: Marcou bem e foi boa opção no ataque. A expulsão no fim de jogo foi algo casual.

Sandro – 3,0: Parecia uma galinha sem cabeça no meio-campo, perdeu a bola no primeiro gol argentino e não tem qualidade de passe para distribuir o jogo.

Rômulo – 5,0: Marcou um gol e preencheu espaços melhor que Sandro. Casemiro – 4,0: Manteve a marcação que Rômulo vinha fazendo.

Oscar – 6,5: Era o melhor brasileiro em campo até se machucar, o que fez o time perder rendimento com sua saída. Giuliano – 5,5: Substituiu Oscar, fez boas jogadas, mas sem manter a mesma qualidade.

Hulk – 4,5: É o jogador mais esforçado em campo, mas toma decisões erradas na hora de concluir as jogadas. Lucas – Sem nota: Quase não pegou na bola.

Leandro Damião – 3,0: Perdeu gols claros e não ajuda o time. Pato – 4,5: Se esforçou mais que Damião, movimentando-se e ajudando o time.

Neymar – 6,5: Correu muito, ajudando na marcação e chamando a responsabilidade para si, mas poderia aprender com Messi como concluir jogadas ao invés de tentar cavar pênaltis.

Mano Menezes – 6,0: Conseguiu fazer a seleção olímpica brasileira jogar de igual para igual contra o time principal da Argentina, mesmo tendo sido obrigado a escalar uma dupla de zaga reserva.

Por João Victor Moretti

Um comentário:

  1. Para quem acredita que a Defesa é o melhor ataque, certamente achou péssimo o jogo de hoje. Não acho que os zagueiros do Brasil sejam ruim, o problema é quem eles tiveram que enfrentar no jogo de hoje. Pelo lado argentino acho sim a defesa deles péssima, como há muito tempo é assim a Argentina tem que se preocupar muito com seu sistema defensivo.
    Mas em fim, como o bom do futebol não é a defesa e sim o ataque o jogo de hoje foi ótimo e emocionante, independente da vitória o jogo as duas seleções mostraram um grande poder ofensivo
    Sobre o jogo:
    De fato Messi é um gênio. Por mais repetitivo que possa parecer, mesmo que algumas propagandas tentam ainda fazer algumas comparações desnecessária, o jogador argentino chama atenção pela habilidade e finalização. Não sei se é anti-patriótico torcer pelo jogador argentino. Mas, acredito que ficou claro que há no grupo da seleção brasileira jogadores capazes de trazer títulos a seleção. Fiquei surpreso com atuação do meio-campo Oscar. Lembrou os bons tempos de Rivaldo. Oscar jogou muito e tem que permanecer sendo convocado e jogando como titul

    ResponderExcluir